25.00€

Title:  MATEMÁTICA DO PLANETA TERRA

Price: 25.00€

ISBN:  978-989-8481-26-9

Dimensions: 25 cm × 183 cm × 235 cm

Weight: 940 g

Date:  2014

Edition: 

Number of Pages:  562

Collection:  Fora de Colecção

Table of Contents:  application/pdf iconFCOL matematica planeta terra.pdf

Introduction: 

A matemática é um instrumento científico fundamental para a modelação, compreensão e resolução dos desafios que se colocam ao nosso Planeta e aos seres vivos que o habitam neste início de milénio. Entendida num âmbito lato, a Matemática do Planeta Terra é incontornável para enfrentar os problema climáticos, demográficos, ecológicos, económicos, energéticos, sociais, ou tecnológicos contemporâneos.

Neste livro reune-se um conjunto de dezassete capítulos, contendo contribuições sobre a aplicação da matemática ao estudo do Planeta Terra, escritos por investigadores portugueses ou radicados em Portugal, e dirigidos a um público muito vasto de não especialistas, que inclui professores e estudantes, mas também todos aqueles com curiosidade e interesse pela matemática e suas aplicações. O presente texto constitui uma panorâmica da Matemática do Planeta Terra cientificamente atualizada e escrita numa linguagem acessível. É também uma excelente fotografia de alguma da investigação científica de qualidade internacional atualmente desenvolvida em Portugal.

Notes: 

ABDELRAHIM MOUSA nasceu em Ramallah na Palestina em 1983. Licenciou-se em matemática aplicada e obteve o grau de mestre em matemática na Birzeit University. É atualmente aluno de doutoramento do programa doutoral em matemática aplicada da Universidade do Porto.

AIRES JOSÉ PINTO DOS SANTOS nasceu em 1956. Licenciou-se em engenharia mecânica no Instituto Superior Técnico em 1979 e doutorou-se, também no IST, em 1996. Atualmente é professor auxiliar no Departamento de Engenharia Mecânica do IST. Faz investigação na área da modelação hidrodinâmica de escoamentos oceânicos. É membro do MARETEC (Centro de Ambiente e Tecnologia Marítimos).

ALBERTO ADREGO PINTO nasceu em Espinho em 1964. Licenciou-se em matemática aplicada na Universidade do Porto, obteve o grau de mestre e doutorou-se em matemática na Universidade de Warwick. É membro do LIAAD INESC TEC e professor catedrático da Universidade do Porto. Orientou cerca de 17 alunos de doutoramento. Foi coordenador executivo do Conselho Científico das Ciências Exatas e Engenharia na Fundação para a Ciência e a Tecnologia em 2010. É editor de dois volumes publicados pela Springer-Verlag. É coautor de um artigo publicado no Annals of Mathematics e de uma monografia publicada pela Springer-Verlag. Atualmente é presidente do Centro Internacional de Matemática, onde lançou e edita a série CIM-Springer Mathematical Series, publicada pela Springer-Verlag. E editor-in-chief do Journal of Dynamics and Games do American Institute of Mathematical Sciences.

ALEXANDRA SYMEONIDES nasceu em Roma em 1988. Licenciou-se em matemática na Università degli Studi di Roma “La Sapienza”, em 2010. Atualmente é estudante do mestrado em matemática na Universidade de Lisboa, onde estudou um ano ao abrigo do programa Erasmus. Os seus principais interesses são processos estocásticos, sistemas dinâmicos e teoria de operadores em espaços de Hilbert.

ALEXANDRE RODRIGUES licenciou-se em matemática (ramo educacional) em 2003 e é mestre em Matemática-Fundamentos e Aplicações (2006) pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, com especialização em sistemas dinâmicos. Obteve em 2012 o grau de doutor em matemática pela Universidade do Porto com a tese “Heteroclinic Phenomena”. Faz investigação em teoria qualitativa das equações diferenciais. Atualmente é invetigador de pós-doutoramento no Centro de Matemática da Universidade do Porto e na Universidade de Oviedo, Espanha.

BRIGITE ROXO BOTEQUIM nasceu em França em 1977. Em 2002 licenciou-se em engenharia florestal pela Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Em 2008, obteve o grau de mestre em estatística e gestão de informação - especialização em sistemas de informação geográfica, demográfica e ambiental, pelo Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação da Universidade Nova de Lisboa. Atualmente, encontra-se a concluir o doutoramento em engenharia florestal e dos recursos naturais, subordinado ao tema “Instrumentos de Apoio ao Desenho de Paisagens Florestais Resistentes ao Fogo” no Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa. Desde 2008 tem integrado, como bolseira de investigação, o grupo Forest Ecosystem Management Under Global Change - FORCHANGE, do Centro de Estudos Florestais, do Instituto Superior de Agronomia. Nestes últimos anos tem utilizado amiúde os seus conhecimentos em áreas científicas relacionadas com a integração da gestão do fogo na gestão florestal, a saber: simuladores de comportamento do fogo, modelação do dano e de probabilidade de ocorrência de incêndios florestais, modelação de gestão e proteção da paisagem florestal-gestão do risco de incêndio, sistemas de informação: modelação, métodos e tecnologias de apoio à decisão no âmbito florestal.

CARLOS ALBERTO LEITÃO PIRES nasceu em Lisboa em 1963. Licenciou-se em ciências geofísicas em 1988 na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Em 1996 concluiu o seu doutoramento em meteorologia na Université Pierre et Marie Curie (Paris VI). Atualmente é professor auxiliar do Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e investigador do Instituto Dom Luiz, Laboratório Associado, onde faz investigação em climatologia estatística, em particular sobre análise de séries temporais não lineares e não-gaussianidade. Faz também investigação em problemas inversos em geociências bem como em modelação e predictabilidade da variabilidade lenta do clima com aplicação de técnicas de sistemas dinâmicos e estatística.

CLARICE GARCIA BORGES DEMÉTRIO nasceu no Brasil em 6 de fevereiro de 1953. É engenheira agrónoma (1972–1975) pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo (ESALQ/USP), com mestrado em experimentação e estatística (1976–1979) pela ESALQ/USP, doutoramento (1979–1985) em agronomia (estatística e experimentação agronómica), também pela ESALQ/USP, e pós-doutoramento (1986–1987) no Imperial College, Londres. É professora titular no Departamento de Ciências Exatas da ESALQ/USP. Foi vice-presidente (2011) da International Biometric Society e, atualmente, é sua presidente (2012-2013). A sua linha de pesquisa principal é em modelos lineares generalizados e extensões, estando com dois livros (um em português, em coautoria com Gauss M. Cordeiro, e um em inglês, em coautoria com John Hinde) em andamento. Já concluiu dez orientações de mestrado e dezassete de doutoramento, além de ter em andamento uma de mestrado e seis de doutoramento. Tem produção científica (mais de 120 trabalhos completos) em revistas nacionais e internacionais, além de ter participação ativa em congressos nacionais e internacionais.

EDVIGES ISABEL FELIZARDO COELHO nasceu em Loulé. Licenciou-se em economia pela Universidade Nova de Lisboa (UNL) em 1994 e obteve o grau de mestre em estatística e gestão de informação pelo Instituto Superior de Estatística e Gestão da Informação (ISEGI), também da UNL, em 2002. É atualmente doutoranda no programa de doutoramento em estatística e gestão de informação do ISEGI–UNL. Desenvolve a sua investigação na área de mortalidade, nomeadamente na estimação e previsão da mortalidade em Portugal. Desempenha funções de técnica superior de estatística na área da demografia no Instituto Nacional de Estatística (INE, I.P.) desde 1996.

É professora auxiliar convidada na Escola de Ciências Económicas e das Organizações da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

FABIO CHALUB nasceu no Rio de Janeiro em 1972, onde fez a licenciatura e mestrado em física (na Pontifícia Universidade Católica), com enfâse em física estatística e computacional, e o doutoramento em matemática (no Instituto de Matemática Pura e Aplicada), com especialização em sistemas integráveis e equações com derivadas parciais. Após este período, resolveu mudar de país e de assunto, trabalhando com modelos matemáticos em biologia, inicialmente em Viena (Áustria) e a seguir em Lisboa, cidade que adotou como sua e onde vive desde 2003, lecionando no Departamento de Matemática da Universidade Nova de Lisboa.

FERNANDO PESTANA DA COSTA |EDITOR| nasceu em Lisboa em 1962. Licenciou-se em engenharia química no Instituto Superior Técnico em 1985 e obteve o grau de mestre em matemática aplicada, também no IST, em 1989. Em 1993 concluiu o seu doutoramento em matemática na Heriot-WattUniversity, em Edimburgo. Lecionou durante vinte anos no Departamento de Matemática do Instituto Superior Técnico. Atualmente, é professor associado com agregação no Departamento de Ciências e Tecnologia da Universidade Aberta e é membro do Centro de Análise Matemática, Geometria e Sistemas Dinâmicos do Instituto Superior Técnico, onde faz investigação na área das equações diferenciais não lineares, interessando-se, em particular, por problemas colocados no âmbito das equações de coagulação, de dinâmica de populações e de modelos matemáticos de cristais líquidos. Foi editor de um número especial da revista Physica D dedicado aos processos de coagulação-fragmentação e é presentemente editor do International Journal of Biomathematics and Biostatistics.

É autor do livro “Equações Diferenciais Ordinárias" e tradutor do livro “Análise Funcional Linear” (ambos publicados pela IST Press). É atualmente vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática.

FERNANDO ACÁCIO MONTEIRO SANTOS nasceu em Angola em 1954. Licenciou-se em física (ramo de ciências geofísicas) na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), tendo concluído o seu doutoramento em física (especialidade de ciências geofísicas) também na FCUL em 1994. Atualmente é professor auxiliar com agregação no Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da FCUL, e investigador no Instituto Dom Luiz, Laboratório Associado. Realiza trabalho de investigação em geofísica aplicada (métodos eletromagnéticos, modelação numérica e inversão).

FILIPE ROCHA nasceu em Coimbra em 1986. Licenciou-se em biologia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra em 2008 e é mestre em ecologia pela mesma instituição, desde 2010. Em 2011 integrou o Biomath Group do Centro de Matemática e Aplicações Fundamentais da Universidade de Lisboa, onde tem desenvolvido a sua carreira científica. Os seus principais interesses são modelos ecológicos e epidemiológicos, dinâmica populacional, processos estocáticos e modelos espaciais. As suas recentes publicações são sobre separação das escalas temporais e análise variedade central em modelos para doenças transmitidas por vetores e processos estocásticos em modelos para várias estirpes de vírus.

MARIA DA GRAÇA MEDEIROS DA SILVEIRA nasceu em São Miguel (Açores) em 1964. Licenciou-se e fez mestrado em ciências geofísicas na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), tendo concluído o seu doutoramento em física (especialidade de ciências geofísicas) também na FCUL em 2002. Atualmente é professora adjunta na Área Departamental de Física do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, do Instituto Politécnico de Lisboa, e é investigadora no Instituto Dom Luiz, Laboratório Associado. Realiza trabalho de investigação em sismologia, usando aplicações para a caracterização da estrutura interna da Terra, nomeadamente crusta e manto.

ISABEL NATÁRIO é professora auxiliar no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa. É investigadora no Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa. As suas áreas de interesse são estatística espacial (dados agregados e processos pontuais espaciais), estatística Bayesiana, epidemiologia, estudos ecológicos e outras metodologias estatísticas no contexto da saúde, das ciências da vida e do ambiente (modelos hierárquicos, modelos lineares generalizados, modelos de populações dinâmicas), áreas onde tem publicado alguns artigos e um livro.

JOÃO TEIXEIRA PINTO |EDITOR| nasceu em Lisboa em 1958. Licenciou-se em física pela Universidade de Lisboa tendo ingressado em 1985 como docente no Departamento de Matemática do Instituto Superior Técnico onde fez o seu mestrado em matemática. Em 1995 concluiu o doutoramento em matemática no Geórgia Institute of Technology, em Atlanta. E atualmente professor auxiliar no Instituto Superior Técnico e membro do Centro de Análise Matemática, Geometria e Sistemas Dinâmicos da mesma instituição. Desenvolve trabalho de investigação em sistemas dinâmicos e equações diferenciais com especial interesse em equações de reação-difusão, equações de coagulação-fragmentação, modelação matemática de cristais líquidos e biomatemática.

JOAQUIM ALVES GASPAR nasceu em Lisboa, em 1949. É oficial da Armada (reformado), especialista em navegação e em hidrografia, Master of Science em oceanografia física (Naval Postgraduate School, Monterey, EUA, 1985) e doutor em gestão da informação-sistemas de informação Geográfica (ISEGI/UNL, 2010). É atualmente investigador do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (FCUL), onde se dedica à história da cartografia, e à análise cartométrica e modelação de cartas antigas. Publicou dois livros dirigidos ao ensino da cartografia e vários artigos em revistas internacionais.

JORDI GARCIA-GONZALO nasceu em Espanha em 24 de Julho de 1977. Licenciou-se em engenharia agronómica e em engenharia florestal pela Universitat de Lleida (Espanha). Posteriormente obteve o grau de mestre em ciências florestais na Faculty of Forestry, University of Joensuu (Joensuu, Finlândia). Em junho do 2007 concluiu o seu doutoramento em ciências florestais na mesma universidade. Neste momento é investigador auxiliar no Centro de Estudos Florestais do Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa. E deputy coordinator do grupo de trabalho 4.04.06 - Nature Conservation Planning da IUFRO (International Union of Forest Research Organizations) desde 2013. Os objetivos principais da sua atividade científica envolvem o desenvolvimento de métodos heurísticos e de modelos de programação matemática para desenvolver modelos de gestão florestal, a integração de aproximações quantitativas e qualitativas em gestão florestal, e o desenvolvimento de sistemas de decisão para apoio ao planeamento e gestão florestal. Tem publicados 22 artigos em revistas científicas internacionais referenciadas no ISI e vários capítulos de livros internacionais.

JORGE MIGUEL VENTIRA BRAVO nasceu em Vila Viçosa em 6 de Dezembro de 1974. É doutorado em economia pela Universidade de Évora, mestre em economia monetária e financeira pelo Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa, e é licenciado em economia pela Universidade de Évora. É professor auxiliar no Departamento de Economia da Universidade de Évora, Escola de Ciências Sociais, e professor convidado da Université Paris-Dauphine (Paris IX). Lecionou como professor convidado na Universidade Nova de Lisboa - ISEGI, e no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa. Coordena o ORBio - Observatório dos Riscos Biométricos da População Segura em Portugal, da Associação Portuguesa de Seguradores. É consultor do Instituto Nacional de Estatística, do Ministério da Solidariedade e Segurança Social, e de grandes companhias de seguros nacionais. É membro do Centro de Estudos e Formação Avançada em Gestão e Economia da Universidade de Évora (CEFAGE–UE). É autor de livros, capítulos de livros e artigos publicados por editoras nacionais e internacionais e por jornais académicos internacionais de referência. Leciona disciplinas nas áreas científicas das finanças, derivados financeiros, gestão de risco em instituições financeiras, sistema de segurança social, cálculo atuarial e financeiro e macroeconomia a cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento e em ações de formação profissional contínua.

JORGE BUESCU |EDITOR| é licenciado em física pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, doutorado em matemática pela Universidade de Warwick e agregado em matemática pelo Instituto Superior Técnico, onde foi ensinou durante vinte anos. Atualmente é professor associado de matemática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. É autor de várias dezenas de artigos científicos, de dois livros publicados internacionalmente, e de mais de uma centena de artigos de divulgação da matemática. Em Portugal publicou cinco livros: “O mistério do bilhete de identidade e outras histórias” (Gradiva, 2001), “Da falsificação de euros aos pequenos mundos” (Gradiva, 2003), “O fim do Mundo está próximo?” (Gradiva, 2007), “Casamentos e outros desencontros” (Gradiva, 2011) e “Matemática em Portugal: uma questão de educação” (Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2012). É membro da comissão Raising Public Awareness in Mathematics e editor da Newsletter da European Mathematical Society. É atualmente vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática e do Centro Internacional de Matemática.

JORGE PICADO nasceu em Ílhavo em 1963. Licenciou-se em matemática (ramo científico) na Universidade de Coimbra em 1985 e obteve o grau de mestre em matemática (especialização em álgebra), também na UC, em 1990. Em 1996 concluiu o seu doutoramento em matemática pura na UC. Atualmente é professor associado com agregação do Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e é vice-diretor do Centro de Matemática da Universidade de Coimbra, onde faz investigação no grupo de álgebra, lógica e topologia, na área da topologia categorial (sem pontos) e das estruturas ordenadas. Os seus interesses atuais centram-se na teoria dos locales e dos reticulados locais, suas estruturas métricas e uniformes, e anéis ordenados de funções. É autor de dezenas de artigos científicos e de divulgação da Matemática, coautor do livro “Frames and locales: topology without points” (Birkhauser, 2012) e de 4 livros sobre problemas das Olimpíadas Portuguesas de Matemática (Texto Editores, 2006 e 2007) e coeditor de um volume recente da revista Topology and its Applications.

JOSÉ AUGUSTO LOPES TOMÉ é professor auxiliar do Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa e membro do Centro de Estudos de Florestais. Tem trabalhado na modelação empírica e processual do crescimento das árvores e povoamentos florestais, tendo participado em diversos projetos de investigação, europeus e nacionais, nestes domínios. Tem mais de duas dezenas de publicações, das quais dezassete em revistas internacionais com arbitragem.

JOSÉ FRANCISCO RODRIGUES é professor catedrático da Universidade de Lisboa (Faculdade de Ciências), onde se doutorou em 1982, depois de ter estudado matemática em Lisboa, onde havia nascido em 1956, e em Paris. É investigador do Centro de Matemática e Aplicações Fundamentais, de que foi diretor nos períodos 1989-1994 e 1998-2002, onde tem trabalhado em equações com derivadas parciais não lineares e, em particular, em problemas de fronteiras livres, e onde tem desenvolvido atividades na área da comunicação da matemática desde o ano 2000, em particular, no âmbito do projeto “Matemática em Acção”, tendo colaborado com o Museu de Ciência e com o Museu de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa.

É editor-coordenador da revista Interfaces and Free Boundaries, da Europeian Mathematical Society, com quem tem colaborado em várias iniciativas, desde que participou na sua fundação na qualidade de vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática, cargo que exerceu entre 1990 e 1994. Foi o presidente da Comissão Nacional de Matemática à IMU de 2002 a 2010 e diretor do Centro Internacional de Matemática de 2008 a 2011. Nas horas vagas gosta de ler e inquirir sobre a história das matemáticas.

JOSE GUILHERME BORGES é engenheiro silvicultor e professor associado com agregação de economia e gestão dos recursos florestais no Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de Lisboa. Realizou o doutoramento (Ph.D.) no College of Food, Agricultural and Natural Resource Sciences da University of Minnesota (St. Paul, EUA). A sua área de especialização é em modelos, métodos e sistemas de apoio à decisão em planeamneto da gestão de ecossistemas florestais. Foi professor visitante em universidades nos EUA e no Brasil, coordena o Grupo IUFRO “Sustainable Forest Management Scheduling” e o mestrado europeu Erasmus Mundus “Mediterranean Forestry and Natural Resources Management” e tem uma larga experiencia de participação em projetos de investigação nacionais e internacionais. Os resultados da sua investigação estão documentados em cerca de setenta publicações com arbitragem científica e em cem outras publicações. Coordenou vários projetos de consultoria para desenvolver planos estratégicos de gestão em áreas florestais para instituições públicas e privadas, bem como para organizações internacionais.

JOSÉ MIGUEL CARDOSO PEREIRA nasceu em 1959. Licenciou-se em engenharia florestal pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA), da Universidade Técnica de Lisboa, em 1983 e doutorou-se em Renewable Natural Resources Studies pela University of Arizona, Tucson, em 1989. É professor catedrático do Departamento de Recursos Naturais, Ambiente e Território do ISA, onde rege as disciplinas de Ecologia e Gestão do Fogo, Detecção Remota e Análise de Imagens, e Proteção Florestal. Desenvolve investigação nas áreas de pirogeografia global, detecção remota do fogo, e ecologia da paisagem. Foi cientista visitante, por períodos de duração variável, na University of Arizona Department of Soil and Water Science, Joint Research Centre Institute for Environment and Sustainability, e European Organisation for the Exploitation of Meteorological Satellites. Tem cerca de setenta artigos publicados em revistas com indexação ISI, orientou dez doutoramentos já concluídos, tendo outros cinco em curso.

JOSÉ NATÁRIO nasceu em Lisboa em 1971, mas cresceu em Viseu, onde completou o ensino secundário. Licenciou-se em matemática aplicada e computação no Instituto Superior Técnico em 1994, e doutorou-se em matemática na Universidade de Oxford em 2000. É atualmente professor associado no Departamento de Matemática do Instituto Superior Técnico. É autor de dezenas de artigos científicos e do livro “General Relativity Without Calculus” (Springer, 2011), no qual tenta explicar as ideias principais da relatividade geral usando apenas matemática elementar.

JUHA VIDEMAN nasceu em Pietarsaari, Finlândia. Em 1984, entrou no curso de engenharia física tecnológica na Universidade Técnica de Helsínquia onde obteve o grau de mestre em ciência e tecnologia em 1991. No mesmo ano ingressou no Instituto Superior Técnico, onde se doutorou em matemática. Atualmente é professor associado no Departamento de Matemática do IST, professor adjunto na Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade Aalto (Finlândia) e membro do Centro de Análise Matemática, Geometria e Sistemas Dinâmicos do IST. Faz investigação na área das equações com derivadas parciais e mecânica dos fluidos, interessando-se, em particular, por escoamentos geofísicos.

LUÍS MATEUS licenciou-se em matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e é mestre em matemática, especialização em física-matemática e mecânica dos meios contínuos, com grau concedido pela mesma instituição. Apresentou uma dissertação de mestrado subordinada ao tema “Formalismo Matemático em Mecânica Quântica”, onde abordou a questão da falta de rigor matemático em mecânica quântica e de como esta pode conduzir a (aparentes) contradições. É atualmente doutorando em matemática, centrando o seu trabalho na aplicação de técnicas da análise estocástica ao estudo de modelos epidemiológicos, em particular na estimação de parâmetros e na comparação de modelos numa abordagem bayesiana. Ao abrigo do programa Austin-Portugal, frequentou a University of Texas at Austin durante o ano lectivo de 2012-13. Interesses científicos: processos estocásticos, modelos epidemiológicos, teoria da probabilidade.

LUIS MANUEL HENRIQUES MARQUES MATIAS nasceu em Lisboa em 1960. Licenciou-se em física (ramo de ciências geofísicas) na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), tendo concluído o seu doutoramento em física (especialidade de ciências geofísicas) também na FCUL em 1996. Atualmente é professor auxiliar com agregação no Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia da FCUL, e investigador no Instituto Dom Luiz, Laboratório Associado. Realiza trabalho de investigação em sismologia, com aplicação à sismotectónica, aos riscos naturais e pesquisa de recursos naturais.

MAÍRA AGUIAR nasceu em Belo Horizonte, Brasil, em 1980 e licenciou-se em ciências biológicas pela PUC-Minas, Belo Horizonte. Trabalhou no laboratório de febre amarela e dengue da Fundação Ezequiel Dias de 2004 a 2006, onde era responsável pelos testes de diagnóstico serológico e pela análise de dados epidemiológicos no laboratório de referencia de Minas Gerais. Durante este período cruzou os resultados dos testes imunológicos com os dados epidemiológicos com o objectivo de criar uma base de dados exaustiva, base essa posteriormente disponibilizada às autoridades de saúde como ferramenta para o controlo do impacto das epidemias, promoção de estratégias de controlo e otimização da rede de prestação de serviços de saúde. Maíra Aguiar assistiu a cursos de bioestatística na Universidade de Lisboa, tendo pouco depois entrado para o Instituto Gulbenkian de Ciência, Oeiras, onde iniciou o seu doutoramento. Obteve em 2012 um duplo doutoramento europeu concedido pela Vrije Universiteit Amsterdam (doutoramento em ciências da vida) e pela Universidade de Lisboa (doutoramento em biologia das populações), enquanto trabalhava no CMAF, Universidade de Lisboa, em modelação matemática e análise de dados, com especialização em dengue. Detém atualmente uma EU-research position, sendo responsável por modelos matemáticos descritivos e preditivos da epidemiologia do dengue. Publicou mais de 15 artigos científicos em revistas internacionais de matemática aplicada, colaborou em vários livros e atas de conferencias com arbitragem. Os seus interesses científicos centram-se nos sistemas dinâmicos, processos estocásticos, bioestatística, e aplicações à ecologia e epidemiologia.

MARIA MANUELA OLIVEIRA é professora no Departamento de Matemática da Universidade de Évora, onde tem desenvolvido a sua carreira científica e pedagógica no domínio das probabilidades e estatística, área de especialidade em que realizou o seu mestrado, doutoramento e agregação. É investigadora no Centro de Investigação em Matemática e Aplicações da Universidade de Évora, no Centro de Estudos Florestais do Instituto Superior de Agronomia e no Centro de Investigação em Matemática e Aplicações da Universidade Nova de Lisboa. Foi professor visitante em universidades nos EUA e no Brasil. Os resultados da sua investigação nas áreas da análise de dados multivariados, modelos lineares generalizados, modelos lineares mistos, inferência linear e estatística em ciências da vida e ambiente estão publicados em vários artigos em revistas nacionais e internacionais da especialidade.

MARIA DA GRAÇA VIEIRA LOPES DE MAGALHÃES nasceu em Alverca. Licenciou-se em psicologia pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada em 2000 e obteve o grau de mestre em estatística e gestão de informação pelo Instituto Superior de Estatística e Gestão da Informação da Universidade Nova de Lisboa (UNL), em 2003. É atualmente doutoranda no programa de doutoramento em sociologia na Universidade de Évora. Desenvolve a sua investigação na área das projeções de população. Desempenha funções de técnica superior de estatística na área da demografia no Instituto Nacional de Estatística (INE, I.P.) desde 1995.

MARIA MARGARIDA BRANCO DE BRITO TAVARES TOMÉ é professora catedrática do Instituto Superior de Agronomia e membro do Centro de Estudos de Florestais, no qual coordena a linha de investigação For Change (Forest Ecosystem Management Under Global Change–Modelação de Ecossistemas Florestais num Contexto de Alterações Globais). Tem larga experiencia em investigação nas áreas de inventário de recursos florestais, monitorização da sustentabilidade da gestão florestal e modelação do crescimento da floresta sob um cenário de alterações globais, tendo coordenado e/ou participado em diversos projetos de investigação nacionais e internacionais. Tem também sido responsável por diversos projetos técnicos, especialmente nas áreas do inventário florestal e da previsão da evolução da floresta. Tem mais de 250 publicações, das quais sessenta e cinco em revistas internacionais com arbitragem. Desde 2001, é coeditora da série da Springer “Managing Forest Ecosystems”. Em 2013 publicou na Springer, em coautoria com Harold Burkhart, o livro “Modeling Forest Trees and Stands”. É coordenadora da Division 4.0 da IUFRO (International Union of Forest Research Organizations) desde 2005, foi membro do Scientific Advisory Board do European Forest Institute (2000-2004) e presidente do Instituto Europeu da Floresta Cultivada (2002-2006), sendo atualmente vice-presidente deste Instituto, o qual é presentemente um Regional Office do European Forest Institute. É membro do Advisory Board do EFIMED (Mediterranean Regional Office of European Forest Institute) e representante de Portugal no COST domain committee “Forests, Their Products and Services”.

NICO STOLLENWERK nasceu em Aachen em 1964, recebeu o seu Vordiploms em física e matemática, licenciou-se em física pela Universidade de Aachen enquanto trabalhava no Jülich Forschungszentrum (FZJ). Continuou a investigação no FZJ e doutorou-se pela Universidade de Clausthal em física teórica em fenómenos lineares em neurociências. Teve posições de pós doutoramento nas universidades de Cambridge, Tel Aviv e Londres, antes de vir para a Universidade do Porto e, posteriormente, integrar o Instituto Gulbenkian da Ciência, em Oeiras, num projeto europeu. Atualmente, trabalha no Centro de Matemática e Aplicações Fundamentais (CMAF) da Universidade de Lisboa, liderando o Mathematical Biology Group, onde representa ativamente a equipa do CMAF em dois projetos europeus, para além de ser investigador principal e membro em vários projetos nacionais da Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Já apresentou trabalhos em cerca de vinte países em quatro continentes. Tem Número de Erdös 3 com um coautor do 5º continente... Além de muitos artigos e contribuições em livros, publicou um livro em biologia das populações e criticalidade com a Imperial College Press/World Scientific. Os seus interessas na investigação são as várias aplicações da biomatemática à ecologia, epidemiologia e neurociências usando técnicas como sistemas dinâmicos, processos estocásticos, sistemas espacialmente estendidos, grandes flutuações, etc.

MARIA PAULA SERRA DE OLIVEIRA fez a sua formação matemática na Universidade de Coimbra e na Université Pierre et Marie Curie, em Paris. É atualmente professora catedrática no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. O seu domínio de investigação situa-se no âmbito da modelação e simulação numérica de fenómenos físicos e biológicos, áreas em que tem dado contribuições originais. Dedica ainda particular atenção ao papel da interdisciplinaridade na produção do conhecimento, tendo publicado recentemente o livro CIENCIACIDADE.

PEYMAN GHAFFARI doutorou-se em matemática-física pelo Imperial College of Science Technology and Medicine, em Londres, em 1997. Tirou o mestrado (diplomphysiker) em física teórica de plasmas na Universidade de Düsseldorf (Alemanha) em 1993. Após terminar o doutoramento trabalhou como consultor industrial antes de integrar o Imperial College como cientista visitante e investigador associado. Em 2007 foi cofundador do Complexity and Interdisciplinary Research Centre no Imperial College fornecendo uma plataforma para a transmissão para a engenharia e economia das últimas descobertas da investigação em ciências da complexidade. Em 2011 integrou o Biomath Group na Universidade de Lisboa, trabalhando com Nico Stollenwerk. Interesses científicos: física estatística, sistemas dinâmicos, epidemiologia, redes neuronais e Econophysics.

RENATO SOEIRO nasceu no Porto em 1983. Licenciou-se em matemática e obteve o grau de mestre em engenharia matemática na Universidade do Porto. É atualmente aluno de doutoramento do programa doutoral em matemática aplicada da Universidade do Porto.

SÉRGIO BRUNO MARTINS DE OLIVEIRA nasceu em Caldas da Rainha, em 1963. Licenciou-se em engenharia civil no Instituto Superior Técnico (IST) em 1986, e obteve o doutoramento na mesma área em 2000, na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). Atualmente é investigador auxiliar no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), no Núcleo de Modelação Matemática e Física do Departamento de Barragens de Betão.

É professor adjunto convidado no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa onde é responsável pela disciplina de Mecânica dos Sólidos III, e pela parte computacional da disciplina de Matemática Aplicada à Engenharia Civil. Realiza trabalho de investigação na área da modelação numérica e da monitorização dinâmica de grandes barragens, tendo orientado várias dissertações de mestrado e de doutoramento nesta área. Atualmente está envolvido em projetos que visam o desenvolvimento ou aperfeiçoamento de modelos de elementos finitos para análise dinâmica de sistemas barragem-fundação-albufeira, considerando efeitos não lineares, nomeadamente recorrendo a modelos de dano para simulação de roturas nos materiais.

SUSETE MARIA GONÇALVES MARQUES nasceu em Lisboa em 1981. Licenciou-se em engenharia agrária em 2004 e mais tarde obteve o grau de mestre em engenharia florestal no Instituto Superior de Agronomia, Universidade Técnica de Lisboa, onde atualmente se encontra a desenvolver o seu programa de doutoramento sobre o tema “Integração do risco de incendio no planeamento da gestão de povoamentos florestais em Portugal”.

TIAGO DOMINGOS nasceu em Lisboa em 1971. É licenciado em engenharia física tecnológica pelo Instituto Superior Técnico (IST), doutorado em engenharia do ambiente (IST) e professor auxiliar da Área Científica de Ambiente e Energia do Departamento de Engenharia Mecânica do IST, onde tem lecionado as cadeiras de Termodinâmica, Energia e Ambiente, Modelação Ambiental, Economia do Ambiente, Economia Ecológica e Ecologia Industrial. É investigador no IN+, Centro de Estudos em Inovação, Tecnologia e Políticas de Desenvolvimento, onde é diretor do Laboratório de Ecologia Industrial e Sustentabilidade. É gerente da Terraprima - Serviços Ambientais, Lda., considerada IST Spin-Off. A sua área principal de investigação é a economia ecológica, na qual trabalha no espectro desde a investigação fundamental até à aplicação prática.

URSZULA SKWARA nasceu em Busko Zdrój, na Polónia. Obteve o grau de mestre em matemática em 2001 na Universidade de Resovia. Depois doutorou-se também em matemática, em 2009, pela Universidade de Silesia, Katowice. Atualmente é professora assistente na Universidade Maria Curie Skllodowska, Lublin e investigadora no CMAF da Universidade de Lisboa. Os seus interesses são: processos estocásticos, semigrupos de Markov, biomatemática em especial dinâmica populacional, eplidemiologia cálculo fracionário e algumas aplicacões de superdifusão a modelos epidemiológicos.

Fora de Colecção