46.00€

Title:  HAJA LUZ! UMA HISTÓRIA DA QUÍMICA ATRAVÉS DE TUDO

Price: 46.00€

ISBN:  978-989-8481-13-9

Dimensões: 5 cm × 25 cm × 23 cm

Peso: 2300 g

Data:  2015

Edição:  3ª - Capa Brochada

Número de Páginas:  632

Colecção:  Fora de Colecção

Indíce:  application/pdf iconFCOL hajaluz.pdf

Excerto do Livro:  application/pdf iconAMegaFerreira_voar_HAJAluz.pdf

Texto de Apresentação: 

HAJA LUZ! É uma história heterodoxa, onde a química vem entrelaçada não só com as outras ciências mas também com a literatura, a música, as artes visuais, o cinema, a filosofia, etc. Aqui, o químico Humphry Davy aparece de braço dado com o poeta Samuel T. Coleridge, Richard Wagner partilha a divisão do trabalho com Adam Smith, e a pintura de René Magritte é invocada a propósito de Louis Pasteur; Marilyn Monroe fica associada ao carbono, Jules Verne e Jacques Offenbach celebram o oxigénio, e Sebastião Salgado fotografa a alquimia sufocante do enxofre. E tudo começa com Joseph Haydn, e a sua oratória, A Criação.

A química resulta de uma curiosidade básica: saber de que é que são feitas as coisas. Nesta fascinante digressão histórica, desde a época áurea dos Gregos até aos dias de hoje, Jorge Calado mostra como a química moderna deriva do conhecimento do fogo da combustão e do raio do relâmpago, isto é, da energia. Calor e electricidade permitiram analisar a terra, a água e o ar, até chegar ao conceito de elemento, representado pelo átomo. Prometeu e Frankenstein são os génios tutelares da química!

A química é construída por pessoas: homens e mulheres, novas e velhas, com gostos e desgostos. A história da química faz-se com elas, e Jorge Calado dá sentido à narrativa (não cronológica) enquadrando as invenções e descobertas químicas nas disputas, guerras e conquistas sociais e políticas. Enquanto alguns químicos foram endeusados, muitos foram perseguidos, outros morreram na guilhotina. São centenas de personagens – químicos e não-químicos – aqui reunidos no palco da história. Haja Luz! é um livro para toda a gente: um livro sem princípio nem fim, concebido para ser aberto e lido a meio de qualquer capítulo; um livro onde os conceitos são mais importantes do que as equações; um livro que mostra como a química é útil, divertida, perigosa, bonita, estimulante, frustrante, e indispensável.

Originalmente publicado, em versão encadernada, no Ano Internacional da Química (2011), Haja Luz! foi considerado, por António Barreto, “uma maravilha […] um assombroso livro, de rara inteligência e grande cultura”, enquanto Roald Hoffmann, Prémio Nobel de Química em 1981, reconheceu que apenas Jorge Calado, com “a sua paixão pela ciência […], pelas imagens e pelas palavras” poderia ter criado um livro tão sedutor, escrito com tamanha verve.

****************************************************************************************************************************

JORGE CALADO TECE AQUI, brilhantemente, uma rede de referências cruzadas, num vaivém incessante entre a química, a fotografia, a matemática, a música, a física, a arquitectura e o teatro, que dá corpo à agenda que vem perseguindo de há décadas a esta parte: esbater as fronteiras entre os discursos científico e artístico, sem anular a especificidade dos objetos e das linguagens que identificam as diversas disciplinas.

António Mega Ferreira, in “Para Aprender a Voar Mais Longe”

****************************************************************************************************************************

SE HOUVESSE UM PRÉMIO para o melhor livro português de ciência de 2011 dava-o a Jorge Calado, professor de Química do Instituto Superior Técnico, autor de Haja Luz! Uma História da Química Através de Tudo, publicado pela IST Press. Trata-se de uma extraordinária história cultural da química, ricamente ilustrada, escrita por um homem das duas culturas, que alia um enciclopédico saber científico com a paixão pelas artes (é especialista em ópera e em fotografia). Não podia ser mais oportuno: este ano, por determinação das Nações Unidas, celebra-se em todo o mundo o Ano Mundial da Química. Se houver, como deve haver, edição em inglês de Haja Luz, ela irá correr o mundo, iluminando muitos mais espíritos.

Carlos Fiolhais, in Agenda XXI 2012

****************************************************************************************************************************

ESTA HISTÓRIA DA QUÍMICA, que não é bem História, este romance que quase o é, tem direito a um lugar nobre nas leituras da nossa vida.

Raquel Gonçalves-Maia, in QUÍMICA, Sociedade Portuguesa de Química

****************************************************************************************************************************

Trata-se, literalmente, de uma maravilha! Este assombroso livro, de rara inteligência e grande cultura, conta a história da Química, ao mesmo tempo que relaciona esta estranha ciência com os deuses e os demónios, os príncipes e os plebeus, os generais e os artistas. Jorge Calado mostra-nos como, pelos caminhos do fogo e da luz, até chegar à radioactividade e ao ADN, cientistas e criadores dedicaram as suas vidas ao conhecimento. E pela liberdade. Numa palavra, pela vida.

ANTÓNIO BARRETO, sociólogo

****************************************************************************************************************************

Jorge Calado é, talvez, o português moderno com menos medo de pensar. Haja Luz! é um antídoto gostoso contra o desânimo e os maus agoiros que nos assaltam de dentro e fora das fronteiras. Mexendo-se como peixe na água por uma infinidade de áreas científicas e culturais, Jorge Calado constrói, com alegria e audácia, um texto luminoso e bem-humorado. Um texto que é, ao mesmo tempo, um coerente tratado da história da ciência e das ideias, e uma fascinante autobiografia do académico, do químico e do cidadão que ele é.

FERNANDO CATARINO, professor catedrático jubilado da Universidade de Lisboa, ex-director do Jardim Botânico

****************************************************************************************************************************

Um livro delicioso, para ser saboreado lentamente, ao correr das horas dos dias cinzentos e das noites frias, junto a uma lareira acesa. Há um prazer puro para os olhos e para os recônditos da mente ao longo de cada capítulo. E faz-se luz no fim de cada capítulo. A alquimia inovadora de Jorge Calado é um triunfo.

ANTÓNIO DAMÁSIO, Dornsife Professor of Neuroscience, University of Southern Califórnia

****************************************************************************************************************************

Ninguém, senão o Jorge Calado, poderia ter criado um livro tão sedutor e tão ricamente ilustrado. Porque nenhum outro cientista ou historiador do nosso tempo seria capaz de se dedicar à tarefa com as paixões combinadas de Calado – a sua paixão pela ciência, sem dúvida, mas também as paixões pelas imagens e pelas palavras, pelo detalhe pessoal e pelo toque operático. O que distingue esta digressão fascinante através da química (e das outras ciências) são as ligações à cultura. E a verve com que está escrito este livro maravilhoso!

ROALD HOFFMANN, químico e escritor, Prémio Nobel de Química

****************************************************************************************************************************

O autor já nos habituou à sua capacidade extraordinária de fazer da ciência um domínio do conhecimento fascinante, simultaneamente belo e exacto. O meu maior desejo é que seja lido e apreciado por todos aqueles que sempre quiseram saber para que é que a química serve, ou que nunca suspeitaram da presença da química em quase tudo o que nos rodeia. Esta é uma obra excepcional e que só o Jorge Calado era capaz de conceber e concretizar.

ALEXANDRE QUINTANILHA, cientista

Fora de Colecção